quinta-feira, 15 de julho de 2010

"Olho por olho, dente por dente" muito antes da própria Bíblia


Há umas semanas atrás, nosso então técnico da seleção, Dunga, cortou certos privilégios da Rede Globo em relação à cobertura do Mundial. Proibiu certas entrevistas, transmissões ao vivo de treinos e até chegou a pedir a cabeça de um dos da Globo. (Clique aqui para ver a matéria)
A emissora, por sua vez, aumentou em suas matérias veiculadas a quantidade de críticas ao técnico, tendo como objetivo diminuir a porcentagem de aprovação do mesmo entre os populares.

Diplomaticamente, estava em jogo o que se chama de princípio de reciprocidade. Mas, na prática, a emissora recorreu a um conceito que tem origem em um dos mais antigos documentos da história da humanidade.
O conjunto de leis conhecido como Código de Hamurabi (Download Aqui!) já dispunha, 18 séculos antes de Cristo, sobre matérias comerciais, penais e civis, nas suas 282 cláusulas. Defendia também a máxima do "olho por olho, dente por dente". Para muitos especialistas em legislação, o Código não o fazia com mero propósito punitivo, mas também para estabelecer uma pena proporcional, e não muito superior, ao delito cometido.

Esse conceito foi posteriormente incorporado pela Bíblia em Êxodo 21:24, quando Moisés prevê a punição dos culpados - "alma por alma, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferimento por ferimento, pancada por pancada".

Mais tarde, Jesus tentou tornar o princípio menos "agressivo": "Ouvistes o que foi dito: olho por olho, dente por dente. Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso, mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra".

Se até aí não havia uma palavra específica para definir esse tipo de situação, como o termo retaliação assume esse papel?

Ele surge na Roma antiga e deriva da lei de talião, que fixava, como nos precedentes babilônicos e bíblico, punição igual ao crime cometido. Ou seja, o "olho por olho, dente por dente".

OBS: talião
se escreve com inicial minúscula, por não ser nome próprio. Tal palavra vem do latin talionem, ou talis, que significa tal. Assim, tal a ofensa ou crime cometido, tal a punição ou castigo.

Um comentário:

  1. Desde que conheci, soube que a pessoa certa está usando as palavras certas. Esse texto é apenas o começo. Acompanhei, acompanho, e acompanharei sempre.

    ResponderExcluir